São Paulo (SP) – Após o Governo Federal negar, no início de 2019, a doação do terreno onde estava o antigo prédio Wilton Paes de Almeida, o Secretário Municipal de Habitação da cidade de São Paulo, João Farias, reabriu diálogo com a Superintendência de Patrimônios da União (SPU), por intermédio do Secretário da SPU/SP, Alexandre Barroso. Após duas reuniões, Município e União chegaram a um acordo para a doação do terreno, desde que a Sehab apresentasse um Projeto Executivo para a construção de moradias populares no local.

Diante da solicitação, o Departamento de Obras da Sehab elaborou um projeto básico que indicou a construção de um empreendimento de 14 andares e cerca de 90 unidades habitacionais, respeitando o plano diretor e lei de zoneamento do local que é uma área tombada.

O projeto executivo foi apresentado na última terça-feira (28) durante reunião realizada no período da tarde no gabinete da Prefeitura Municipal, encontro que contou com a presença do prefeito Bruno Covas, do secretário de habitação de São Paulo, João Farias; do secretário nacional da Superintendência de Patrimônios da União (SPU), Fernando Bispo; do superintendente da SPU de São Paulo, Alexandre Barroso; do presidente da câmara de vereadores, Eduardo Tuma; e dos secretários de licenciamento e justiça, César Azevedo e Rubens Rizek.

Ao fim da reunião, Bruno Covas assinou um termo de autorização para que o secretário João Farias finalize os trâmites burocráticos junto a SPU já visando ao início da construção do conjunto habitacional para famílias de baixa renda. Com a assinatura, foi oficializada a doação da área para o município, somente restando formalidades legais entre União e Município.

Os valores para a construção do Conjunto habitacional ao lado do Largo do Paissandú ainda estão sendo levantados. Porém, já existe orçamento destinado para o empreendimento que será viabilizado por meio do novo programa habitacional da cidade de São Paulo, o Pode Entrar, projeto desenvolvido no final de 2019 e que contará com mais de R$ 1 bilhão de investimentos exclusivos dos cofres do município para a construção de aproximadamente 10 mil unidades habitacionais para famílias de baixa renda que não possuem acesso ao crédito imobiliário.

O objetivo da Prefeitura é que a ordem de serviço (início das obras) seja realizada até o dia 1 de maio, data quando se completam três anos do desabamento do antigo edifício Wilton Paes de Almeida.

Texto e fotos: ASCOM Sehab

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This